Gestão e conhecimento em favor da educação

Em 2007, a CAPES assumiu a atribuição de induzir e fomentar a formação inicial e continuada de professores da educação básica. Desde então, diversas ações foram desenvolvidas para melhorar a qualidade dos ensinos fundamental e médio, no Brasil. Duas delas referem-se ao desenvolvimento da Plataforma CAPES de Educação Básica e do Portal Educapes. Dois serviços que ajudam o mapeamento e gestão do sistema educacional e a disseminação de materiais e conhecimento, de forma gratuita e universal.

Plataforma CAPES de Educação Básica

A Plataforma é um sistema integrado de armazenamento de dados de professores, alunos de licenciatura e profissionais ligados à educação básica. Inicialmente, ela foi criada para a gestão do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor).

Em 2017, foi lançada uma nova versão com ferramentas que ampliam as funcionalidades para usuários internos e externos e, em 2018, a Plataforma passou a incorporar a gestão dos Programas Residência Pedagógica e Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid). Hoje, o sistema dispõe de uma tecnologia que capta as informações, de modo padronizado, dos mais de 400 mil usuários cadastrados e auxilia a CAPES, as Secretarias de Educação e as instituições de ensino a gerir os projetos e seu respectivo público.

Com a Plataforma, a CAPES tem subsídios para fazer uma seleção mais rápida e segura de interessados em participar de programas e bolsas e pode gerir de forma mais eficiente os projetos apoiados. Por outro lado, as Secretarias de Educação podem acessar dados dos professores e das escolas de sua rede e gerenciar sua participação nos programas. Já as universidades podem registrar as informações dos seus


projetos e fazer a gestão dos participantes que estão aptos a receber apoio da CAPES.

Ana Carolina Villas Boas, coordenadora de Apoio à Inovação e à Pesquisa em Educação da CAPES, diz que “há um projeto em desenvolvimento para dar acesso universal às consultas de currículos dos usuários da Plataforma e disponibilizá-la também para a gestão dos programas de Mestrado Profissional para a Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica (ProEB) e dos programas de formação de professores da educação básica no exterior”.

Portal EduCAPES

Lançado em 2016, o Educapes é um portal, de acesso universal e gratuito, que disponibiliza cerca de 300 mil objetos educacionais abertos, voltados para alunos e professores interessados em aumentar seus conhecimentos. São materiais de ensino e aprendizagem como artigos sobre pesquisas, teses, dissertações, vídeo-aulas, áudios e imagens. Todo o conteúdo do acervo é licenciado e aberto, autorizado pelo autor ou de domínio público.

“A verdadeira democratização passa pela disponibilização dos materiais para toda a comunidade. Uma pessoa que tem poucos recursos terá acesso aos mesmos materiais usados pela que tem muitos recursos”, destaca Alexandre Martins, coordenador de Tecnologia em Educação a Distância da CAPES.

Este acesso é feito de forma híbrida. Os usuários, tanto do Educapes quanto de outros repositórios abertos de instituições de ensino e pesquisa parceiras, podem acessar todos os materiais, que são indexados e excluídos do sistema, de forma sincronizada. As parcerias com universidades em Portugal para compartilhamento de conteúdo científico fizeram com que a CAPES desenvolvesse melhorias no Educapes. “Estamos adotando as regras e os modelos que os europeus utilizam, principalmente para otimizar a padronização dos mecanismos de buscas”, finaliza Martins.

Plataforma Sucupira: 68 milhões de acessos e novas funções

Com 23 milhões de usuários e 68 milhões de acessos em 2019, a Plataforma Sucupira ampliou suas funções. Para expandir o seu serviço como um portal facilitador para a comunidade acadêmica, a CAPES atualizou a ferramenta, que agora possui um módulo de egressos e pós-doutorado, garantindo aos programas a possibilidade de registrar as atividades de forma mais transparente.

Além disso, o registro do identificador digital único, ORCID, passou a ser vinculado às pessoas que usam a Sucupira: professores, alunos, participantes externos e coordenadores de programas. “Estamos estimulando o uso de identificadores pessoais e de produção, e o seu registro na Sucupira, para que, em um futuro próximo, possamos oferecer a possibilidade de importação automática dos dados e preenchimento automático dos campos”, explica Talita Oliveira, coordenadora-geral de Atividades de Apoio à Pós-Graduação da Diretoria de Avaliação da CAPES.

Focada no processo de Avaliação, a Sucupira reúne oito módulos que ajudam os gestores da pós-graduação stricto sensu no preenchimento, homologação e acompanhamento de tarefas. Para Rubens Maribondo, pró-reitor de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a Sucupira tem um papel fundamental para a gestão da CAPES e as instituições de ensino. “Os programas têm a possibilidade de em uma única plataforma ter todos os dados referentes à avaliação, integrados e disponíveis para serem inseridos e consultados a qualquer momento do ano, podendo, inclusive, por meio da transparência da plataforma, verificar indicadores de outros programas de pós-graduação”, afirma.

As opções de conteúdo presentes na Plataforma Sucupira são variadas e vão desde a legislação vigente sobre o processo de avaliação aos cursos avaliados e reconhecidos, passando pelo sistema de coleta de informações dos programas de pós-graduação. O portal é dividido em duas partes, uma com acesso público e outra que exige cadastro, direcionada para coordenadores das instituições de ensino superior.

Outro ponto atrelado diretamente à criação da Plataforma é o aumento da transparência aos sistemas e processos da CAPES. São diversos dados e documentos disponíveis para acesso, assim como informações da Avaliação Quadrienal.

Na visão de Maribondo, a integração do sistema foi extremamente importante para os programas de pós-graduação e para a CAPES, especialmente. O pró-reitor da UFRN entende que com este modelo a Coordenação “passa a ter um cenário muito mais claro do sistema nacional de pós-graduação, conseguindo em uma única plataforma identificar onde estão os professores, quem são os alunos, acompanhar a evolução destes ao longo tempo e propor, dessa forma, políticas e critérios de avaliação mais claros e relevantes para o sistema”.

Conheça as várias finalidades da Sucupira

Avaliação

Os procedimentos e informações sobre a avaliação de cursos de pós-graduação, a legislação vigente, áreas de avaliação e coordenações podem ser consultados diretamente na Plataforma.


APCN

Também é pela Sucupira que as propostas para a criação de cursos novos (APCN) são enviadas. Pela aba do APCN é possível acompanhar as solicitações e receber apoio para o preenchimento das propostas.

Cursos Avaliados e Reconhecidos

Contém a lista com os cursos de pós-graduação recomendados pela CAPES e reconhecidos pelo Ministério da Educação. Neste quadro é possível acessar os programas por área de avaliação, nota, região ou até mesmo uma busca avançada.

PCI (Minter & Dinter)

Os Projetos de Cooperação entre as Instituições (PCI) ficam na aba Minter & Dinter. Nela é possível submeter novos projetos de mestrados e doutorados em cooperação com outras instituições, além de obter informações sobre outros projetos. A lista das instituições promotoras e receptoras dos projetos fica disponível, assim como o período de vigência de cada programa.

Coleta

O Coleta, módulo responsável pelo recebimento dos dados de cada programa de pós-graduação (PPG) brasileiro, é o recordista em acessos dentro da Plataforma: foram 15,8 milhões em 2019 ou 25% do total.

É pelo Coleta que a CAPES recebe os dados que vão servir de base para a Avaliação Quadrienal. Os mais de 4.600 PPGs do sistema devem, anualmente, anexar arquivos e informações para atualização.

Qualis

Usado para classificar a produção científica dos programas de pós-graduação publicada em periódicos científicos, o Qualis afere a qualidade dos artigos e de outros tipos de produção, a partir da análise de qualidade dos veículos de divulgação.

Avaliação Quadrienal

Todas as fichas utilizadas durante a Avaliação Quadrienal e demais informações sobre o processo são publicadas na Plataforma. A avaliação analisa todos os cursos de pós-graduação e os classifica em uma escala que vai de 1 a 7.

Dados e estatísticas

As estatísticas de todos os programas de pós-graduação podem ser acessadas através do GEOCAPES. Além dos números, 23 conjuntos de dados abertos sobre a CAPES estão na Plataforma, disponíveis para o público.

Aplicativo pró-reitores

Os pró-reitores também podem acessar a Plataforma Sucupira por meio de um aplicativo. Nele é possível homologar documentos, como as propostas de cursos novos ou os dados fornecidos para o Coleta.

Atualmente, o sistema passa por atualizações para melhorar sua usabilidade.



Catálogo reúne normas e atos administrativos da CAPES

Um Catálogo de Normas e Atos Administrativos que reúne regulamento relacionados às atividades da CAPES e seus boletins de serviço institucional. Esse é o CAD, uma plataforma lançada em agosto de 2019, que teve 49,7 mil acessos até dezembro do mesmo ano.

Quando da elaboração do Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação (PDTIC), em 2017, a Diretoria de Tecnologia da CAPES identificou a necessidade de uma ferramenta de busca e consulta aos atos normativos da Fundação. Para Gustavo Portella, coordenador-geral de Sistemas da CAPES, o principal benefício do CAD é “dar maior transparência com relação a esses atos e proporcionar uma divulgação maior e mais abrangente”.

Alimentado diariamente pela Coordenação de Gestão de Documentos (CGD), o Catálogo consegue mapear a vigência dos atos e relacioná-los, facilitando o acesso e o conhecimento do que está em uso. “As normas que entram no CAD para o público externo são da CAPES, publicadas no Diário Oficial, e de outras instituições que são afetas às atividades da Fundação”, explica Marcella Braga, coordenadora de Gestão de Documentos.

A Plataforma reúne resoluções, portarias, pareceres, decretos, leis, instruções normativas, despachos, medidas provisórias, editais, súmulas de pareceres e projetos de lei. A pesquisa


pode ser feita por tipo de ato, número, ano, origem, fonte, situação ou finalidade. Além disso, há um campo geral, no qual o usuário pode pesquisar por palavras ou expressões relacionadas ao documento.

Ao acessar o regulamento, o usuário consegue visualizar informações de origem do ato, texto completo do documento em HTML e uma versão em PDF da publicação original.

A plataforma dispõe de uma área reservada a usuários internos da CAPES, que solicita login e senha para acesso a atos e resoluções que possuam alguma restrição de acesso público, como dados pessoais.

Sistema facilita acesso a dados estatísticos da CAPES

O Sistema de Informações Georreferenciadas da CAPES (GeoCAPES) reúne dados consolidados da pós-graduação, com referências geográficas, das áreas finalísticas da Coordenação. Criado em 2008, o sistema reúne estatísticas, referentes à avaliação da pós-graduação, fomento no País e no exterior.

O GeoCAPES é mantido com “uma tecnologia própria de monitoramento que permite que seus dados passem por um trâmite de homologação para conferência antes da publicação, uma vantagem sobre os sistemas de mercado”, conta Edmilson Coelho Chaves, da Diretoria de Tecnologia da Informação da CAPES. Esse processo de coleta das informações é gerido pela Assessoria de Planejamento e Consolidação da Informação da CAPES (APE). Entretanto, dados gerados em sistemas externos à CAPES, são importados pela DTI.

As informações estão divididas por sete indicadores: concessão de bolsas de pós-graduação no Brasil, distribuição de bolsistas da CAPES no exterior, distribuição de alunos de pós-graduação no Brasil, distribuição de programas de pós-graduação no Brasil, distribuição de professores, acesso ao Portal de Periódicos e investimento da CAPES em bolsas e


fomento. Todas as categorias contêm dados por ano.

Ao acessar a página principal, o usuário pode optar por visualização geográfica, por meio de um mapa do Brasil e gráficos, ou analítica, com tabelas disponíveis para download. O sistema é atualizado anualmente, com informações repassadas pelas diretorias da CAPES, referentes ao ano anterior. A partir deste mês começa a coleta junto às diretorias e, ainda no primeiro semestre de 2020, deve-se concluir o processo referente ao ano passado.

Este foi o prazo estabelecido para que sejam carregados os dados de todos os indicadores ao mesmo tempo, de forma sincronizada. “O fato de você ter diferentes indicadores relacionados à pós-graduação no mesmo sistema permite que, ao baixar esses dados, consiga fazer relatórios precisos, com uma análise completa”, esclarece Yuri Ghobad, assessor da APE.

Está em estudo uma atualização do sistema, com modernização visual e revisão dos indicadores, como previsto no Plano Diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação (PDTIC). “As melhorias vão deixar o sistema mais atrativo e mais intuitivo, com informações amplas”, diz Carla Honorato, assessora na APE. Ela explica que “com uma nova forma de trabalhar os indicadores, o usuário pode ver todo o universo da CAPES de forma mais abrangente”.