Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Seminários > II Encontro Nacional do PARFOR
Início do conteúdo da página
banner-Parfor-full.jpg

Apresentação | Programação | Palestrantes | Pôsteres | Organização Grupos TemáticosNotícias

Apresentação

O Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor) foi lançado em maio de 2009 com o objetivo de induzir e fomentar a oferta de educação superior, gratuita e de qualidade, para professores em exercício na rede pública de educação básica, para que estes profissionais possam obter a formação exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB e contribuam para a melhoria da qualidade da educação básica no País.


O Parfor é uma ação desenvolvida em regime de colaboração entre Capes, as secretarias de educação dos estados, dos municípios e do Distrito Federal e as Instituições de Ensino Superior.


O II Encontro Nacional do PARFOR é um importante momento de integração entre os entes participantes do Programa. Esse evento tem por finalidade fomentar a socialização de experiências e reflexões sobre a formação inicial de professores em exercício.


Programação

QUARTA-FEIRA – 5/6

8h às 9h – Credenciamento dos Participantes

9h às 10h – Mesa de Abertura do Evento

10h às 12h – Palestra Magna: “Formação de Professores e a Profissão Docente”

Palestrante: Prof. Dr. António Nóvoa – Reitor da Universidade de Lisboa 

12h às 14h – Intervalo para o almoço 

14h às 14h30 – Apresentação do Portal de Periódicos
Expositora: Prof. Elenara Chaves Edler de Almeida – Coordenadora Geral do Portal de Periódicos

14h30 às 16h30
 – Mesa Temática I – Políticas da Capes Voltadas à Formação de Professores da Educação Básica
Expositores:
Prof. Carmen Moreira de Castro Neves – Diretora de Formação de Professores da Educação Básica – DEB/CAPES
Prof. João Carlos Teatini – Diretor de Educação a Distância – DED/CAPES
Coordenadora: Izabel Lima Pessoa – Coordenadora Geral de Formação de Docentes da Educação Básica – CGDOC/DEB/CAPES

16h30 às 16h50
 – Coffee Break

16h50 às 18h
 – Mesa Temática II – O Desafio de aliar a Tecnologia à Formação de Professores.
Expositores: Ricardo Santos e Daniel Vicentini – CISCO

QUINTA-FEIRA – 6/6

8h30 às 10h30 – Mesa Temática III: “Desafios Contemporâneos na Formação de Professores”.

Expositoras:

Prof. Dra. Bernardete Gatti – Consultora Unesco
Prof. Dra. Elba Siqueira Sá – Universidade de São Paulo – USP
Coordenadora: Cenidalva Miranda de Sousa – Coordenadora Adjunta do Parfor - UFMA

10h30 às 12h – Palestra: “Articulação entre teoria e prática na Formação de Professores”.
Palestrante: Prof. Dra. Guiomar Namo de Mello – Escola Brasileira de Professores 

12h às 14h – Intervalo para o almoço

14h às 18h – Grupos Temáticos
• Articulação teoria e prática na formação de professores
• Desafios da formação de professores em serviço
• O Parfor e a sala de aula em transformação
• A tecnologia aliada à formação de professores

SEXTA-FEIRA – 7/6

 8h30 às 10h30 – Mesa Temática IV: “Compartilhando Experiências na Gestão do Parfor”.

Expositoras:
Prof. Dra. Josenilda Maria Maués da Silva – Coordenadora Adjunta do Parfor - UFPA
Prof. Dra. Glória Maria Duarte Ferro – Coordenadora Geral do Parfor - UFPI
Prof. Dra. Isabel Cristina Auler Pereira – Vice-Reitora – UFT
Coordenadora: Prof. Dra. Irene Carzola – Diretora Administrativa Instituto Anísio Teixeira - IAT

10h30 às 12h30 – Mesa Temática V – “A formação de professores no contexto do Ensino Médio”.
Expositores:
Maria de Guadalupe Lima - Coordenadora da Gestão do Ensino Médio e da Educação Profissional – SEDUC RS
Luís Carlos de Menezes - Membro do Conselho Técnico Científico da CAPES para Educação Básica
Coordenadora: Izabel Lima Pessoa - Coordenadora Geral de Formação de Docentes da Educação Básica – CGDOC/DEB/CAPES

12h30 às 14h30 – Intervalo para o almoço

14h30 às 16h30 – Socialização das Discussões dos Grupos Temáticos

16h30 – Encerramento


Palestrantes

antonio1

António Nóvoa

António Nóvoa é Reitor da Universidade de Lisboa e professor catedrático da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. Suas áreas de especialização são História da Educação e Educação Comparada. 
Publicou mais de uma centena de trabalhos científicos na área da Educação - em particular sobre temáticas da profissão docente, da história da educação e da educação comparada -, em diversos países, nomeadamente Alemanha, Bélgica, Brasil, Canadá, Colômbia, Espanha, Estados Unidos da América, Finlândia, França, Portugal, Reino Unido e Suíça.

eleanara1

Elenara Chaves Edler de Almeida

 Doutora em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde da UFRGS. Atualmente é Coordenadora-Geral do Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. 

Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: portal periódicos, administração pública, periódicos científicos, produção científica e recursos humanos.

carmem1

Carmen Moreira de Castro Neves

Servidora pública federal, da carreira de Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental; Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Pelotas, especialista em Administração da Educação pela Universidade de Brasília e mestre em Educação, pela Universidade de Brasília.Prestou consultoria à Fundação das Nações Unidas, formulando o projeto Teacher Capacity Building Program in Botswana - Ending the Silence on HIV/AIDS, premiado pelas Nações Unidas em 2004. Trabalhou na Secretaria de Educação a Distância do MEC (1996-2006) onde produziu o documento “Referenciais de Qualidade para cursos a distância”.Atualmente é Diretora de Formação de Professores da Educação Básica, na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal em Nível Superior – CAPES

joao1

João Carlos Teatini

Engenheiro Civil pela Universidade Federal de Goiás (1971), Mestre em Engenharia Civil pela Coordenação dos Programas da Pós-Graduação em Engenharia (COPPE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ (1975) e Ph.D. em Engenharia Estrutural pela Polytechnic of Central London, hoje University of Westminster (1990).

Professor da Universidade de Brasília - UnB, desde 1974, tendo exercido as funções de Coordenador de Pós-Graduação do Programa de Estruturas e Construção Civil (2001-02), Coordenador de Tecnologias Aplicadas à Educação da Faculdade de Tecnologia (2004-07), Decano de Extensão (1992) e Decano de Administração e Finanças (1992/93 e de abril-out/2008 Gestão Pro-tempore). Na administração pública - Governo do Distrito Federal: Coordenador do Projeto de Implantação da Universidade Aberta do Distrito Federal (1996-97), Subsecretário das Administrações Regionais (1997-98) e Secretário de Governo (1998); Ministério da Educação: Secretário de Educação a Distância (2003-04), Coordenador Geral de Supervisão em Educação a Distância (out/2008 jan/2009) e Diretor de Educação Básica Presencial da CAPES (até 2011). Atualmente é Diretor de Educação a Distância da CAPES.

 

bernadete1

Bernardete Angelina Gatti

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade de São Paulo e Doutorado em Psicologia - Universite de Paris VII - Universite Denis Diderot , com Pós-Doutorados na Université de Montréal e na Pennsylvania State University. Docente aposentada da USP, foi professora do Programa de Pós-Graduação em Educação: Psicologia da Educação da PUC-SP e exerceu o cargo de Superintendente de Educação e Pesquisa na Fundação Carlos Chagas, tendo sido Consultora da UNESCO e de outros organismos nacionais e internacionais. Atualmente, atua como Pesquisadora Colaboradora na Fundação Carlos Chagas, como Coordenadora da Editoria Científica da Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos (RBEP) e do Comitê Editorial da Revista Estudos em Avaliação Educacional. Eleita Vice Presidente da Academia Paulista de Educação.Suas Áreas de Pesquisa são: Formação de Professores, Avaliação Educacional e Metodologias da Investigação Científica.

elba1

Elba Siqueira Sá

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade de São Paulo (1965), mestrado (1980) e doutorado (1991) em Sociologia pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. É consultora da Fundação Carlos Chagas e professora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

Foi Superintendente de Educação e Pesquisa da Fundação Carlos Chagas de maio de 2011 a fevereiro de 2013 e editora dos Cadernos de Pesquisa até fevereiro de 2013.

Tem experiência na área de Educação e trabalha principalmente com os seguintes temas: políticas públicas, ensino fundamental, currículo e formação docente.

guiomar1

Guiomar Namo de Mello

É pedagoga pela USP (1966), mestre e doutora em educação pela PUC/SP (1971 e 1981); fez estudos de pós doutorado no Institute of Education da London University (1991-1992). Professora em escolas públicas estaduais, iniciou carreira no ensino superior na PUC-SP (1969 - 1985). Foi professora visitante na UNICAMP, na UFSCar e na UFMG, e, por mais de 10 anos, fez carreira como pesquisadora educacional na Fundação Carlos Chagas. Foi secretária municipal de educação de São Paulo (1982- 85). Em 1986 elegeu-se deputada estadual em São Paulo, tendo presidido a comissão de educação durante a elaboração da Constituição Estadual de São Paulo. De 1993 a 1996 foi especialista em educação no Banco Mundial e no BID, em Washington, de onde voltou para assumir a direção executiva da Fundação Victor Civita e o cargo de conselheira do CNE na Câmara de Educação Básica. Neste último cargo foi relatora das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio de 1998 e teve papel decisivo na elaboração das Diretrizes Curriculares Nacionais para Formação do Professor da Educação Básica em Nível Superior (2002). Nos anos recentes Guiomar Namo de Mello colaborou com a elaboração da Proposta Curricular do ensino público estadual paulista e com a implementação, na Escola de Formação de Professores Paulo Renato, do REDEFOR - programa de educação continuada para os professores estaduais do estado, voltado para a implementação do novo currículo.

É diretora da EBRAP, Escola Brasileira de Professores, empresa pela qual presta consultoria a iniciativas de desenvolvimento curricular e organização pedagógica de escolas públicas, e também a projetos de formação inicial e continuada de professores da educação básica.

josenilda1

Josenilda Maria Maués da Silva


Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará, Mestrado E Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Atualmente é Professora Associada II da Universidade Federal do Pará, Professora da Linha de Pesquisa Educação: Currículo, Epistemologia e História do Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto de Ciências da Educação da Universidade Federal do Pará; Coordenadora Adjunta do Plano Nacional de Formação de Professores, PARFOR/UFPA; Membro do Comitê Gestor Institucional de Formação Inicial e Continuada de Profissionais do Magistério da Educação Básica na Universidade Federal do Pará; Membro do Conselho Científico da Revista eletrônica Artifícios (UFPA); Membro de corpo editorial da Revista Margens (UFPA).

Membro de corpo editorial da Ambiente & Educação (FURG). Líder do Grupo de Pesquisa Diferença e Educação (DIFERE) que investe na realização de estudos voltados para a constituição de sínteses disjuntivas apoiadas nas virtualidades e multiplicidades de abordagens filosóficas de inspiração pós-estruturalista. Investe no aprofundamento do pensamento nômade da diferença como potência criadora para a composição do pensamento da diferença no âmbito do currículo e da formação de professores. Aposta na escrita de intensidades e no estilo como linhas de fuga e possibilidades de afrontamento dos limites da linguagem sedentária no campo da investigação educacional.

gloria1

Glória Maria Duarte Ferro

Possui graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia (1990), especialização em Pedagogia Escolar (1998) e mestrado em Educação pela Universidade Federal do Piauí (2001). É professora do Departamento de Fundamentos da Educação do Centro de Ciências da Educação da UFPI, membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Psicologia da Educação (NEPPED) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação Especial e Inclusiva (NEESPI) do Programa de Pós-Graduação em Educação e Coordenadora Geral do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR) na UFPI.

Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Psicologia da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, desenvolvimento e aprendizagem; dificuldades de aprendizagem/fracasso escolar; psicolingüística, alfabetização; linguagem; leitura e escrita, PCN, ensino fundamental e supervisão escolar.

isabel1

Isabel Cristina Auler Pereira


Possui graduação em Letras Inglês e Português pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Jahú (1979), especialização em L. Portuguesa (PUC/SP) e em Avaliação Institucional (UnB); mestrado em Literatura pela Universidade de Brasília (2002) e doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2007). Foi Pró-Reitora de Graduação e Coordenadora da região Norte do Fórum Nacional de Pró-reitores (2008-2009) e Presidente do Fórum Nacional de Pró-reitores de graduação das Universidades Brasileiras (2010-2011). Atuou como coordenadora de curso, diretora de ensino.

É professora adjunta do curso de Pedagogia e Vice-Reitora da Universidade Federal do Tocantins, membro do Fórum de Apoio à Formação dos Professores da Educação Básica do Tocantins e do Fórum de Educação Estadual. Atua principalmente nos seguintes temas: literatura e leitura nos anos iniciais, formação de professores da educação básica; linguagem, currículo e tecnologias e produção textual.

luis1

Luís Carlos de Menezes


Bacharel em Física (Universidade de São Paulo -1967), Mestre em Física (Carnegie Mellon University -1971), Doutor em Física (Universitat Regensburg -1974), Professor Sênior do Instituto de Física da Universidade de São Paulo e orientador do programa de Pós-graduação Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo.

Atua na área de Educação, em formação de professores, ensino básico, ensino de física e de ciências. É membro do Conselho Técnico Científico da CAPES para Educação Básica e membro da equipe da UNESCO do Projeto de Currículos Integrados para o Ensino Médio.

isabel1

 

 Ricardo Santos

 Mestre em Administração de Empresas pela Universidade de DUKE (EUA) e Pós Graduado em Gestão Avançada pelo INSEAD (França). 

Executivo de Marketing e Vendas na Indústria de TI e Telecom há 26 anos, tanto no Brasil como América Latina; 
Professor Universitário de Cursos de Pós Graduação na área de Negócios há 15 anos.
Atua na Cisco desde 2000 e atualmente é responsável pelo desenvolvimento da Vertical de Educação no Brasil.

luis1

 

 Daniel Vicentini

Especialista em Tecnologias para Educação, atualmente é Engenheiro Consultor para a Vertical de Educação da Cisco. 
14 anos de experiência na área de Tele-comunicações e TI onde trabalhou em Administração de Redes, Gestão de Projetos, Gestão de Infra estrutura.
Possui certificação Cisco CCIE Routing & Switching e CCIE Service Provider.


Pôsteres

 

Orientações para confecção de pôsteres

Durante o evento, os professores alunos poderão apresentar Relatos relacionados à melhoria de sua atuação em sala de aula a partir de sua vivência no Parfor, com o objetivo de disseminar essas experiências para os demais participantes do II Encontro Nacional do Parfor. 


No intuito de facilitar e organizar a apresentação dos Relatos, solicitamos que eles sejam feitos por meio de pôsteres (banners), conforme orientações relacionadas abaixo:

  • O pôster é um instrumento visual cuja finalidade é levar informações pertinentes a uma ação prática ou de pesquisa de forma clara e objetiva. Deve, por meio de seu arranjo gráfico, ser autoexplicativo dispensando a presença do autor para ficar mais interessante para o público espectador que interage com o trabalho.
  • Os pôsteres serão expostos à visitação dos demais participantes do II Encontro Nacional do Parfor. O banner deverá ter altura de 1,80m e largura de 0,80m, com cordão preso em travessa de madeira ou PVC, para ser pendurado. Sugere-se que o pôster (banner) seja impresso em gráfica.
  • A responsabilidade de confecção do pôster (banner) é do participante, podendo ser custeada com os recursos do Instrumento firmado entre a IES e a CAPES.
  • O Conteúdo do Banner deverá conter a Identificação do Participante com as seguintes informações: nome, universidade, curso e município e UF.
  • Use cores suaves para o fundo; cores intensas tornam a leitura cansativa. Faça textos curtos e objetivos, use letras grandes (no mínimo, fonte 20).
  • Para mostrar resultados, prefira ilustrações (gráficos) ao invés de tabelas, mas não sobrecarregue esses gráficos.
  • Organize figuras e textos em seções dispostas verticalmente. Seções dispostas horizontalmente confundem o leitor e dificultam a leitura. Numere as seções para melhor orientar a leitura.
  • Use e abuse de recursos gráficos, como setas ligando partes do pôster, fundos de cores diferentes, separando partes relacionadas entre si, texto com letras de tamanhos diferentes, indicando a importância de cada parte.
  • O pôster é principalmente uma oportunidade para disseminar e debater seu trabalho com os outros participantes presentes.
  • Caso deseje, os alunos poderão levar cartões de visita, cópias do relato (ou cópias reduzidas do pôster) para distribuir a quem se interessar visando à integração entre os participantes. 
  • Após o Encerramento do Encontro, o pôster estará à disposição do respectivo expositor, devendo ser recolhido pelo mesmo.

Veja a relação de pôsteres aprovados aqui.


Organização

 Comitê organizador:

Izabel Lima Pessoa (CGDOC/CAPES), Alcione Rodrigues da Silva (CGDOC/CAPES), Lorena Lins Damasceno (CAF/CAPES), Paloma Siqueira Fonseca (CAF/CAPES), Dayse Benigna Araújo Gomes (CAF/CAPES), Stefany Matie Martins (CAF/CAPES), Alexandre Ferreira da Costa (CAF/CAPES), Pedro Henrique Ferreiro Costa (CAF/CAPES), Ingrid Rodrigues Costa (CAF/CAPES), Ninna Carla Zamariolli de Araújo (CAL/CAPES), Ruy Gonçalves Silva (CAL/CAPES), Cleide Isaias dos Santos Soares (CAL/CAPES), Bruna Fernanda Pamplona(CAL/CAPES).

Apoio:

SECOL (CAPES), ACS (CAPES) e CGLOG/CSG (CAPES)


Grupos Temáticos

A Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica da CAPES considera que o caráter emergencial do Parfor é uma oportunidade para gerar conhecimento, diretrizes e práticas de formação docente que sejam, efetivamente, capazes de preparar o professor para a escola e a sociedade complexas do século atual.


Na avaliação externa do Parfor, realizada em 2011, foram detectados vários pontos que merecem atenção dos gestores e implementadores do Programa. Detectou-se também que algumas instituições formadoras já podem apresentar estratégias e respostas aos desafios apontados pelo resultado dessa avaliação.
Sendo assim, selecionamos 4 aspectos abordados na referida avaliação, para que sejam discutidos nos grupos temáticos, no âmbito do II Encontro Nacional do Parfor. São eles:

1) Articulação teoria e prática:
Objetivo: conhecer e compartilhar projetos pedagógicos, estruturas curriculares, metodologias, tecnologias e estratégias didáticas que permitam ao professor ampliar seu conhecimento ao mesmo tempo em que melhora as experiências e as práticas educacionais do seu cotidiano.

2) Desafios da formação em serviço:
Objetivo: conhecer e compartilhar abordagens disciplinares e didáticas voltadas para profissionais que já estão em serviço, ou de pessoas que deixaram seus estudos há algum tempo, com hábitos escolares esquecidos ou esmaecidos, oferecendo-lhes propostas curriculares com níveis crescentes de complexidade, reconhecendo o status profissional do professor da educação básica no século XXI.

3)A sala de aula em transformação:
Objetivo: conhecer e compartilhar experiências geradas pela vivência no Parfor e que foram capazes de já provocar transformação nas salas de aula: por exemplo: elevação das notas de Língua Portuguesa e Matemática na Prova Brasil, diminuição da repetência, da evasão e aumento dos indicadores de sucesso escolar e outras.

4) A tecnologia aliada à formação de professores:
Objetivo: conhecer e compartilhar projetos bem sucedidos de inserção das TICs à formação de professores, inclusive com uso dessas tecnologias em tempos e espaços que ampliem a formação dos alunos do Parfor, estendendo oportunidades de busca de informações e construção de conhecimento. O uso do computador interativo nas aulas do Parfor.


Notícias

Fim do conteúdo da página