Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Sala de Imprensa > Notícias > Projeto cria jogos educativos para uso em sala de aula
Início do conteúdo da página
REMAR

Projeto cria jogos educativos para uso em sala de aula

Publicado: Sexta, 19 Outubro 2018 16:58 | Última Atualização: Segunda, 22 Outubro 2018 16:10

Jogar no computador e em vídeo game muitas vezes é visto pela sociedade como algo negativo, mas estudantes da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desenvolvem jogos para mudar essa perspectiva.

Eles fazem parte do projeto REMAR, que desenvolve jogos gratuitos de caráter educativo. A ideia é que os professores da educação básica possam personalizar o conteúdo para usar em sala de aula.

WhatsApp Image 2018 10 16 at 10.20.22
Estudantes do ensino fundamental interagem com jogos educativos do projeto REMAR. (Foto: Lucas Santos - CCS/CAPES)

Atualmente, oito jogos estão disponíveis na plataforma. Eles foram desenvolvidos por equipes interdisciplinares de mais de 10 cursos de todas as áreas de conhecimento.

O projeto começou em 2005, é apoiado pela CAPES e está em exposição na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2018. Júlia de Moura, estudante da UFSCar, explica como surgiu o projeto: “Começou com uma ideia de dois professores de fazer uma plataforma onde é possível colocar jogos educativos que podem ser customizados com qualquer tipo de conteúdo”.

Um dos desafios do Remar é desenvolver jogos acessíveis para pessoas com deficiência. Luiz Valério, estudante da UFSCar, está fazendo o projeto de conclusão de curso focado em deficientes visuais: “A gente trabalha com acessibilidade para deficiências visuais, vários tipos, as mais comuns no Brasil. E os nossos jogos têm a premissa de serem educacionais e jogáveis por pessoas com deficiência visual e sem deficiência visual de forma equivalente”.

A SNCT vai até o próximo dia 21, no Pavilhão do Parque da Cidade em Brasília e a visitação é gratuita.

Horário de funcionamento da SNCT:
Sábado: 9h30 às 19h
Domingo: 9h às 18h


(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

Fim do conteúdo da página