Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Sala de Imprensa > Notícias > Mestrados profissionais em rede são debatidos em mesa redonda
Início do conteúdo da página
Reunião da SBPC

Mestrados profissionais em rede são debatidos em mesa redonda

Publicado: Sexta, 27 Julho 2018 14:22 | Última Atualização: Sexta, 27 Julho 2018 15:00

Os Programas de Mestrado Profissional para Qualificação de Professores da Rede Pública de Educação Básica (PROEBs) foram tema de debate nesta quinta-feira, 26, durante a programação da 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que acontece até o próximo dia 28, na Universidade Federal de Alagoas, em Maceió.

Os mestrados profissionais em rede nacional têm por objetivo fomentar a manutenção e o desenvolvimento dos programas de pós-graduação nesta modalidade para qualificação de docentes do ensino básico das redes públicas.

27072018 sbpc IMG 20180727 WA0032
Carmen Pimentel falou sobre objetivos do ProFis (Foto: Natália Morato - CCS/CAPES)

Segundo dados apresentados por Nelson Studart Filho, vice-coordenador da Comissão Nacional de Pós-Graduação do Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (ProFis-MNPEF), existem dez programas que seguem este modelo no Brasil, com cerca de 7,2 mil matrículas ativas e 3,7 mil alunos titulados. Anualmente são investidos R$ 39 milhões para professores cursistas e R$ 6 milhões para custeio em 98 universidades públicas do país.

“Este modelo de programa já está implantado, precisamos nos preocupar com a sua manutenção. Por meio da Portaria CAPES 61/2017, o PROEB foi regulamentado, estabelecendo políticas para concessão de bolsas e custeio, o que permitiu o ingresso de novos programas nas áreas, com 1160 vagas”, explicou Nelson.

O vice-coordenador também ressaltou as ações técnicas de monitoramento, iniciadas em 2017, com o objetivo de visitar as escolas onde atuam os professores egressos dos cursos e verificar o impacto da formação, bem como a aplicabilidade dos produtos educacionais gerados a partir das dissertações. “Este processo visa a melhoria da prática e do método de ensino nas áreas abrangidas.”

ProFis
A professora associada do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP) e membro da Comissão de Pós-graduação do ProFis-MNPEF, Carmen Pimentel Cintra do Prado, falou sobre os impactos do programa. “A ideia é, além de dar formação, fazer uma complementação da formação profissional em física, com novas técnicas e metodologias.” O Profis conta atualmente, com 59 polos ativos em praticamente todos os estados.

Outro ponto levantado pela professora foi a importância do programa para além do ganho intelectual individual alcançado pelos alunos. “Trazer esses professores da educação básica de volta para o convívio universitário serve também para a criação de uma rede de contatos tanto com professores quanto com demais instituições e com a sociedade.”

Para o futuro, desafios estão propostos - como incentivar cada vez mais o desenvolvimento de pesquisas aplicáveis - que sejam úteis para toda a sociedade e não só para o aluno, concentrar esforços para a homogeneização das disciplinas e material de apoio e tecer estratégias para melhoria da comunicação, seja na troca de experiências como na disponibilização de dissertações na página do programa.

CAPES na Reunião da SBPC
Até 28 de julho, a CAPES está com estande localizado na ExpoT&C, onde presta informações sobre os diversos programas da Fundação. Também estão acontecendo treinamentos para o uso do Portal de Periódicos e Recursos Digitais para o Ensino Fundamental. Confira aqui a programação completa do evento.

(CCS/CAPES)

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura “CCS/CAPES"

Fim do conteúdo da página