Plataforma Sucupira: mais de 1,7 milhão de acessos em 2018

Livraria

Preencher, homologar e acompanhar dados são algumas das tarefas dos gestores da pós-graduação stricto sensu brasileira. Até 2014, os responsáveis pelos programas de mestrado e doutorado precisavam usar cerca de 15 sistemas com tecnologias diferentes, o que dificultava essas tarefas e tornava o processo lento.

Para solucionar esse gargalo, a CAPES criou em 2014 a Plataforma Sucupira, que reuniu, aprimorou e deu transparência aos sistemas e processos, atendendo a demanda da comunidade científica. "É uma nova e importante ferramenta para coletar informações, realizar análises e avaliações e ser a base de referência do Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG)", explica Manoel Brod, coordenador de Gestão da Informação da Diretoria de Avaliação da CAPES.

Em 2018, a plataforma teve mais de 1,7 milhão de acessos. Uma das facilidades trazidas pelo Sucupira é o Sistema Coleta, que terá um importante uso no próximo mês pois, anualmente, os programas de pós-graduação precisam enviar à CAPES informações sobre as linhas de pesquisa. Em 2019, os coordenadores terão até o dia 8 de março para mandar os dados que devem ser chancelados pelas pró-reitorias até o dia 15 do mesmo mês.

Hoje, além do Coleta, a plataforma abriga os seguintes sistemas: Qualis, Avaliação Quadrienal, APCN, Minter & Dinter, Cursos Avaliados e Reconhecidos, Conheça a Avaliação, e Dados e Estatísticas. O primeiro ciclo de desenvolvimento da Plataforma Sucupira foi durante a Avaliação Quadrienal 2013-2016. O processo juntou e atualizou os sistemas para que funcionassem de forma fidedigna e segura em relação aos dados, focando na avaliação quadrienal.

Manoel Brod afirma que o esforço realizado ter dados abertos e aprimorar a plataforma é uma resposta para a sociedade: "fizemos um trabalho grande para disponibilizar esses dados. É um retorno que estamos dando da CAPES sobre a transparência. Estar dentro dos princípios internacionais que falam sobre a necessidade de dados serem encontrados de forma acessível, com uma interoperabilidade e serem reutilizados".

A Plataforma oferece, em tempo real e com muito mais transparência, as informações sobre os processos e procedimentos que a CAPES realiza no SNPG para toda a comunidade acadêmica. Também permite o gerenciamento de todos os processos e maior participação das pró-reitorias e coordenadores de programas de pós-graduação.

Professor deu nome à plataforma

A escolha do nome da plataforma da CAPES é uma homenagem ao professor Newton Sucupira, autor do Parecer nº 977 de 1965. O documento conceituou, formatou e institucionalizou a pós-graduação brasileira nos moldes atuais.

Foto: Haydée Vieira

Laboratório

Avanços trazidos pela Plataforma Sucupira

Para a CAPES:

- Maior transparência dos dados para toda a comunidade acadêmica;
- Redução de tempo, esforços e imprecisões na execução de avaliação;
- Maior facilidade no acompanhamento da avaliação;
- Maior confiabilidade, precisão e segurança das informações;
- Controle gerencial mais eficiente.

Para as Instituições de Ensino Superior:

- Mais facilidade e simplicidade no processo de coleta/envio das informações;
- Imediata visibilidade das informações da instituição;
- Mais agilidade no processo de solicitações e facilidade na comunicação junto à CAPES;
- Melhor acesso e disponibilidade de informações sobre todo o SNPG para elaborar metas, ações e políticas institucionais e respectivos planos de desenvolvimento;
- Envio de informações continuamente em tempo real ao longo do ano;
- Possibilidade futura de integração com sistemas de registro acadêmico-corporativos.

NÚMEROS


Ícone de cursor

Mais de 1,7 milhões de acessos na Plataforma Sucupira em 2018

Ícone de Páginas

Mais de 63 milhões de páginas foram visualizadas na plataforma

Qualis

O Qualis é o portal mais acessado, com 27% do público

Ícone de livro

A listagem de produção intelectual pelos coordenadores de programas de pós-graduação foi acessada por 5,43% dos visitantes

Ícone da Plataforma Lattes

Importação de produções do Lattes, também pelos coordenadores, 2,0%


ORIGENS DO ACESSO A PÁGINA

Bandeira dos Estados Unidos

EUA

Bandeira de Portugal

Portugal

Bandeira da Espanha

Espanha

Bandeira da Colômbia

Colômbia

SISTEMAS DA PLATAFORMA


APCN

As propostas de cursos novos são enviadas pela Plataforma. É possível acompanhar as novas solicitações e receber apoio para o preenchimento das propostas. O sistema segue o calendário da Diretoria de Avaliação da CAPES.

Qualis

O Qualis contém informações das revistas acadêmicas, com o Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas (ISSN) e a classificação das publicações, que varia de A1, a mais alta, até C. As revistas de cada área são avaliadas e o resultado se reflete também na análise dos programas de pós-graduação durante a Avaliação Quadrienal.

Coleta

O Coleta é o sistema que recebe os dados de docentes, discentes, projetos de pesquisa, trabalhos de conclusão, teses e dissertações, além de produções do programa. Os dados são utilizados para a Avaliação Quadrienal. Eles são abertos e estão disponíveis para a população.

Avaliação Quadrienal

Todas as fichas utilizadas durante a Avaliação Quadrienal e demais informações sobre o processo são publicadas na plataforma. A avaliação analisa todos os cursos de pós-graduação e os classifica em uma escala que vai de 1 a 7.

Minter & Dinter

Os projetos de mestrado e doutorado interinstitucional podem ser consultados. A lista das instituições promotoras e receptoras dos projetos fica disponível, assim como o período de vigência de cada programa.

Cursos avaliados e reconhecidos

A lista dos cursos regulares de mestrado acadêmico e profissional e doutorado com nota igual ou superior a "3" são divulgados pela CAPES. Da lista constam os cursos avaliados pela Fundação e reconhecidos pelo Conselho Nacional de Educação – CNE/MEC.

Conheça a Avaliação

Os procedimentos e informações sobre a avaliação de cursos de pós-graduação, a legislação vigente, áreas de avaliação e coordenações podem ser consultados diretamente na plataforma.

Aplicativo pró-reitores

Os pró-reitores também podem acessar a Plataforma Sucupira por meio de um aplicativo. No app é possível homologar documentos, como as propostas de cursos novos ou os dados fornecidos para o Coleta. Atualmente, o sistema passa por atualizações para melhorar sua usabilidade.

Dados e estatísticas

As estatísticas de todos os programas de pós-graduação podem ser acessadas através do GEOCAPES. Além dos números, 23 conjuntos de dados abertos sobre a CAPES estão na plataforma, disponíveis para o público.

Campanha alerta para cursos de mestrado e doutorado irregulares

Faculdade USP A CAPES lançou campanha que alerta os estudantes que querem cursar o mestrado ou doutorado sobre a oferta irregular de tais cursos. A iniciativa esclarece que programas de pós-graduação stricto sensu oferecidos de forma irregular, isto é, programas que não cumprirem a legislação em vigor, aqueles que não foram aprovados por meio da Avaliação de Propostas de Cursos Novos (APCN), não possuem autorização para iniciar suas atividades.

Para a Diretora de Avaliação da CAPES, Sonia Báo, a atuação de cursos irregulares causa um forte prejuízo para o País. "Ter pessoas formadas por cursos de baixa qualidade e desautorizados gera grande prejuízo ao cidadão e à sociedade, além do prejuízo financeiro, triste ser enganado por instituição que não é válida e nem creditada dentro do Sistema Nacional de Pós-Graduação."

Os programas considerados irregulares não podem emitir diploma com validade nacional. "Esses cursos acabaram se proliferando, aproveitando da boa-fé de cidadãos brasileiros que, querendo se qualificar, acabam comprando gato por lebre", adverte Sergio Avellar, Coordenador Geral de Normas e Estudos da Diretoria de Avaliação da CAPES. Em 2018, a CAPES recebeu 84 demandas a respeito de oferta de cursos irregulares.

Os mestrados e doutorados regulares são reconhecidos pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) e homologados pelo Ministério da Educação. Esses programas de pós-graduação stricto sensu podem emitir diplomas com validade nacional. No Brasil, antes de entrar em funcionamento, o curso é submetido à APCN, quando a instituição interessada informa à CAPES, por exemplo, como pretende oferecê-lo, a infraestrutura para a oferta, a bibliografia a ser utilizada e a quantidade de vagas. A avaliação das propostas é realizada anualmente, de acordo com calendário pré-estabelecido. Para 2019, a submissão da APCN ocorrerá entre os dias 13 de maio a 28 de junho.

Se for aprovada pela CAPES, a proposta é submetida ao CNE para análise dos dados e reconhecimento do curso. Apenas as propostas validadas em todas as instâncias são homologadas pelo Ministério da Educação e estão autorizadas a entrar em funcionamento. A relação dos cursos regulares pode ser pesquisada no portal da CAPES na internet. http://www.capes.gov.br/cursos-recomendados.

O Ministério Público tem competência legal para investigar a oferta de cursos irregulares. A CAPES é responsável por avaliar e acompanhar programas regulares. Os irregulares estão fora do sistema e não podem ser monitorados.

Foto: Haydée Vieira

Banner Como tirar a prova da sua Pós-Graduação