Pular para: Menu Conteúdo Busca
Alto Contraste: contraste Tamanho de fonte: maior menor reset
CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Revalidação de Títulos – manifestação do CTC-ES quanto à Lei 10.011/2013 do Estado do Mato Grosso PDF Imprimir E-mail
Publicada por Coordenação de Comunicação Social da Capes   
Quinta, 17 de Abril de 2014 18:30

Acesse o documento.

 
Capes divulga relação parcial de aprovados no doutorado pleno exterior PDF Imprimir E-mail
Publicada por Coordenação de Comunicação Social da Capes   
Quinta, 17 de Abril de 2014 13:53

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulga nesta quinta-feira, 17, o resultado da seleção das candidaturas submetidas no âmbito do Doutorado Pleno no Exterior demanda de 2014 - Primeira Parcial. Até final de abril serão divulgadas outras listas com mais aprovados.

Os candidatos indeferidos receberão a carta com motivo de indeferimento nos próximos 10 dias pelo endereço eletrônico. Os candidatos que constam na lista de aprovados receberão carta de aprovação e instruções pelo endereço eletrônico.

Acesse aqui o primeiro resultado parcial.

(CCS/Capes)

 
Bolsista do Ciência sem Fronteiras recebe 1º lugar em encontro na área de biologia nos EUA PDF Imprimir E-mail
Publicada por Coordenação de Comunicação Social   
Quarta, 16 de Abril de 2014 10:07

O bolsista de doutorado-sanduíche do programa Ciência sem Fronteiras (CsF), Guilherme Ortigara Longo, conseguiu o primeiro lugar com um trabalho apresentado no 43rd Benthic Ecology Meeting, na cidade de Jacksonville, Flórida, ocorrido em março de 2014. O brasileiro está no Georgia Institute of Technology, onde realiza estudos de ecologia química aquática, especialmente em recifes de coral.

Leia mais...
Guilherme é bolsista no Brasil da Universidade Federal de Santa Catarina e nos EUA do Georgia Institute of Technology.
O trabalho desenvolvido por Guilherme busca mostrar que algas que estão competindo quimicamente com corais podem ficar mais "saborosas" para os herbívoros, fato que acaba ajudando os corais a se livrar delas, beneficiando, assim, a saúde do recife como um todo. "Esse resultado é particularmente importante porque ressalta o papel dos herbívoros, como peixes e ouriços, na recuperação de recifes de coral. Eles controlam, potencialmente, as populações de algas e mantém colônias de corais mais saudáveis", explica.

O professor que trabalha com Guilherme nos EUA, Mark Hay, é um dos pioneiros no assunto.

Apresentação
Os resultados obtidos foram apresentados no encontro na Florida, uma das reuniões mais importantes do mundo para o estudo de organismos como macroalgas e invertebrados marinhos. "Minha participação foi fortemente incentivada pelo professor e apoiada pelo Georgia Institute of Technology. Certamente o fato de já estar nos EUA foi um dos fatos que tornou possível minha participação neste congresso. O próximo passo é publicar um artigo científico com esses resultados como parte da minha tese de doutorado", conta.

Leia mais...
O encontro na Florida é uma das reuniões mais importantes do mundo para o estudo de organismos como macroalgas e invertebrados marinhos

Premiação no México
Guilherme Longo teve também outro trabalho premiado durante o doutorado sanduiche. Foi em outubro de 2013, no 1º Congreso Panamericano de Arrecifes Coralinos, em Mérida, no México. "Apresentei os resultados de outro capítulo da minha tese de doutorado, desenvolvido inteiramente no Brasil, e o trabalho também foi premiado, dessa vez em terceiro lugar. Os resultados compõem a primeira avaliação integrada de ambientes recifais rasos do Atol das Rocas, incluindo dados sobre a cobertura de corais e algas, comunidade de peixes e processos ecológicos importantes como herbivoria", lembra.

Este trabalho é um dos frutos da Rede Nacional de Pesquisa em Biodiversidade Marinha e contou com a participação de pesquisadores de diferentes instituições no Brasil. Foi coordenado por Sergio Floeter, orientador de Guilherme, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e está sendo finalizado para publicação. Além da bolsa para o doutorado-sanduíche nos Estados Unidos, Guilherme é bolsista pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no Brasil, como estudante de doutorado da UFSC.

Leia mais...
Em outubro de 2013, Guilherme recebeu uma premiação no México por um trabalho desenvolvido inteiramente no Brasil

Doutorado-Sanduíche
Segundo o bolsista brasileiro, poder realizar parte de sua pesquisa no exterior foi essencial para os encaminhamentos positivos do trabalho, por ampliar o escopo da análise. "Por meio da Rede Nacional, tive a oportunidade de reunir dados de pelo menos 14 locais ao longo da costa brasileira, desde o Maranhão até Santa Catarina. Durante o período do sanduíche, tive a oportunidade de expandir as coletas de dados em diversos locais do Caribe (ex. México, Belize e Curaçao) e costa leste dos EUA (ex. Florida, Georgia, North Carolina)", ressalta.

Para Guilherme, um resultado importante da pesquisa é a ponte entre cientistas de diferentes países. "Todo esse esforço construiu importantes canais de colaboração entre pesquisadores do Brasil e dos Estados Unidos e resultará em avanços científicos mais robustos".

Leia mais...
Para Guilherme, um resultado importante da pesquisa é a ponte entre cientistas de diferentes países

Sobre a importância da modalidade, o bolsista não hesita em definir como experiência fundamental para um aluno de doutorado, independentemente da área do conhecimento, e, potencialmente, o melhor investimento que um doutorando pode receber. "A oportunidade de realizar uma imersão de até um ano em uma instituição de ensino no exterior certamente tem um valor muito maior que o investimento financeiro da bolsa. Além do crescimento pessoal de imersão em outra cultura, língua e lugares, é sem dúvida um momento de crescimento profissional intenso", afirma.

Guilherme conta que a experiência no exterior transformou sua visão sobre a ciência no Brasil. "O doutorado-sanduíche é uma oportunidade única de observar como a universidade, o programa de pós-graduação e até mesmo a pesquisa é gerida e encarada de maneira diferente. Isso é imprescindível para identificar erros e acertos, traçar planos pra mudar a realidade acadêmica no país e acabar de uma vez por todas com um fantasma que vaga pelos corredores de diversas universidades brasileiras de que somos menos preparados ou capazes quando comparados a estudantes do exterior. Pelo contrário, nossas limitações de infraestrutura e financiamento nos ensinam a dar valor a esses recursos, aproveitá-los ao máximo quando disponíveis, mas também nos mostra o quanto devemos trabalhar por melhores condições de pesquisa no país", conclui.

(Pedro Arcanjo)

 
PPG em Literatura, Cultura e Contemporaneidade da PUC-Rio promove conferências pela Escola de Altos Estudos PDF Imprimir E-mail
Publicada por Coordenação de Comunicação Social da Capes   
Quarta, 16 de Abril de 2014 13:00

Acontece, desde 3 de abril até 29 de maio, na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), a série de conferências "Reler os Anos 60 e 70", do eminente crítico de arte, filósofo e professor francês Jacques Leenhardt (École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris). O encontro é produzido com apoio do edital da Escola de Altos Estudos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Além da presença de cerca de 70 pós-graduandos inscritos no auditório da PUC-Rio, todas as quintas-feiras, até o final de maio, cerca de 100 mestrandos e doutorandos de diferentes universidades assistem e participam do evento por meio de videoconferências.

Outras informações, notícias, bibliografia e textos relativos ao evento, além das conferências do professor Leenhardt estão integralmente disponíveis aqui.

Escola de Altos Estudos
A Escola de Altos Estudos (EAE) consiste em atividade de cooperação acadêmico-internacional na forma de cursos de curta duração. Parte do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), a EAE se desenvolve com recursos Capes, que destina até R$ 150 mil para cada curso. O montante é empregado em passagens aéreas, hospedagem e apoio operacional. Todos os cursos são documentados e passam a integrar o acervo da agência.

Os cursos ministrados pelos especialistas estrangeiros têm curta duração e somam créditos para o programa de pós-graduação dos participantes. A Capes incentiva à formação de consórcios entre universidades para ampliar o acesso aos eventos. Quando possível participar via internet ou teleconferência, o curso também deve contabilizar créditos.

(Com informações do PPG em Literatura, Cultura e Contemporaneidade da PUC-Rio)

 
Programas em parceria com a França divulgam novos editais PDF Imprimir E-mail
Publicada por Coordenação de Comunicação Social da Capes   
Terça, 15 de Abril de 2014 12:35

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulga nesta terça-feira, 15, dois editais para seleção de projetos de parcerias universitárias, exclusivamente em nível de graduação, para fomentar o intercâmbio entre Brasil e França e estimular a aproximação das estruturas curriculares, inclusive a equivalência e o reconhecimento mútuo de créditos obtidos nas instituições participantes.

Brafitec
O programa consiste na seleção de em projetos de parcerias universitárias em todas as especialidades de Engenharia. As propostas que cumprirem os requisitos descritos no edital nº 21/2014 devem ser inscritas na página do programa até 19 de setembro. A ela, devem ser anexados os documentos solicitados. A proposta em francês deverá ser encaminhada para o link disponibilizado na página do Conférence des Directeurs des Écoles Françaises d'Ingénieurs (CDEFI).

É prevista a aprovação de até 15 projetos, podendo haver alteração deste quantitativo mediante decisão conjunta entre as agências financiadoras e disponibilidade orçamentária. O resultado está previsto para ser divulgado em dezembro deste ano e o início das atividades a partir de janeiro de 2015.

Mais informações pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

Brafagri
O programa consiste em projetos de parcerias universitárias nas áreas de ciências agronômicas, agroalimentares e veterinária, disciplinas correlatas. As propostas que cumprirem os requisitos descritos no edital nº 20/2014 devem ser inscritas até 15 de junho, na página do programa. A ela, devem ser anexados os documentos solicitados. Na França, a entidade responsável pelo programa é a Direction Générale de l'Enseignement et de la Recherche du Ministère de l'Agriculture et de la Pêche (DGER).

É prevista a aprovação de até dez projetos, podendo haver alteração deste quantitativo, mediante decisão em reunião conjunta entre as agências e disponibilidade orçamentária. O resultado está previsto para ser divulgado em novembro deste ano e o início das atividades a partir de janeiro de 2015.

Mais informações pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

Benefícios
Em ambos os programas, cada proposta de projeto de parceria universitária deverá planejar suas atividades considerando a duração de dois anos, podendo ser prorrogada por mais dois. Às propostas selecionadas estão previstos recursos para missões de trabalho, missões de estudo e materiais de custeio.

(CCS/Capes)

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Pagina 1 de 510
Setor Bancário Norte, Quadra 2, Bloco L, Lote 06, CEP 70040-020 - Brasília, DF
CNPJ 00889834/0001-08 - Copyright 2006 Capes. Todos os direitos reservados.
Participe:Transparência Públcia Selo Acesso BR
Conheça também: MEC | CNE | INEP | CNPq