Notícias Ex-bolsista aumenta componente anti-inflamatório da uva
Bolsista em destaque

Ex-bolsista aumenta componente anti-inflamatório da uva

Publicado: Quarta, 04 Setembro 2019 12:44 , Última Atualização: Quinta, 26 Setembro 2019 16:54

04092019 Foto bolsista destaqu 2

Graduada em Tecnologia em Alimentos pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), em Bento Gonçalves, Laís Moro tem mestrado e doutorado em Ciência dos Alimentos pela Universidade de São Paulo (USP). Ex-bolsista da CAPES, ela criou uma técnica que aumenta a produção do resveratrol nos cachos de uva. O resveratrol é um fitonutriente encontrado em plantas, e possui capacidade antioxidante e anti-inflamatória, prevenindo doenças como o câncer.

A pesquisa foi realizada em parceria com Renata Viera da Mota, pesquisadora que atua no Núcleo Tecnológico Uva e Vinho, da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Geais (Epamig).

Fale um pouco sobre o resveratrol e seus benefícios.
O resveratrol é um composto natural, encontrado em frutas como a uva. Ele é um estilbeno, família de compostos secundários das plantas, que atua na resposta de defesa das plantas. Dentre os seus benefícios, é reconhecido por possuir capacidade antioxidante e anti-inflamatória, prevenir doenças coronárias, reduzir o LDL, que é o colesterol ruim, além de melhorar a sensibilidade à insulina, a manutenção muscular e possuir propriedades neuroprotetivas.

Qual é a técnica usada para estimular a produção de resveratrol nas plantas?
Faz-se a aspersão dos cachos com um composto, naturalmente produzido pelas plantas. O período para a aplicação é de fundamental importância para a efetividade do tratamento. As aplicações, devem ser feitas durante o amadurecimento dos frutos e na pré-colheita, para estimular a produção de estilbenos nas plantas e, consequentemente, nos frutos.

04092019 foto bolsista destaque

O resveratrol já faz parte da nossa alimentação, está presente em diversos alimentos. A maior fonte é o vinho tinto, mas é encontrado na uva, no mirtilo, e na ameixa, entre outras frutas.

Como se deu o interesse em pesquisar este tema?
Meu interesse surgiu a partir da ideia de elaborar um suco de uva com mais bioativos, como o resveratrol, de uma forma natural, para que pessoas que não possam ou não gostem de tomar vinho, pudessem usufruir dos benefícios destes compostos.

O processo de elaboração dos vinhos tintos proporciona uma maior extração dos compostos da película e semente da uva, que são as principais fontes de resveratrol. Ele também está presente no suco de uva, especialmente o integral, e na uva, porém, em menor quantidade em comparação ao vinho tinto.

Qual a importância do seu trabalho para a realidade brasileira? E no âmbito internacional?
Houve um aumento do consumo de suco de uva entre os brasileiros. Além disso, o suco de uva é exportado para diversos países como Japão, Porto Rico, Estados Unidos, Angola e Dinamarca. Pessoas que consomem o suco de uva integral podem substituir por este suco com mais bioativos, que auxiliam na promoção da saúde.

Os testes foram feitos em uvas Vitis labrusca L, cultivadas no sul e sudeste brasileiro, que são muito usadas para a produção de suco. A técnica desenvolvida é de fácil implantação e baixo custo, incentivando o pequeno e médio produtor.

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

 

Compartilhe o que você leu