Notícias Pesquisadores recebem essa semana o Prêmio CAPES de Tese
Pós-Graduação

Pesquisadores recebem essa semana o Prêmio CAPES de Tese

Publicado: Terça, 11 Dezembro 2018 10:16 , Última Atualização: Segunda, 06 Mai 2019 10:53

Será entregue na próxima quinta-feira,13, às 17 horas, em Brasília, o Prêmio CAPES de Tese 2018. Ao todo, 49 pesquisadores de diferentes áreas receberão a premiação por seus trabalhos de doutorado, defendidos em 2017.

Durante o evento, haverá o anúncio daquelas que foram consideradas as teses de maior destaque em cada área da Ciência (científica, saúde e humanas). Outras 81 teses receberão menção honrosa. A seleção dos trabalhos foi feita por meio do edital nº 16/2018.

Foram analisadas 893 teses por uma comissão de especialistas. A avaliação dos trabalhos atendeu a alguns critérios, tais como originalidade, relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, cultural, social e de inovação, além da valorização dada pelo sistema educacional ao candidato.

As instituições de ensino superior com maior número de inscrições no prêmio foram a Universidade de São Paulo (USP), com 82 trabalhos, seguida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com 49, e pelas federais do Rio Grande do Sul (UFRGS) e do Rio de Janeiro (UFRJ), com 47 teses inscritas cada.

O Prêmio CAPES de Tese 2018 conta com a parceria da Comissão Fulbright, da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma), e das Fundações Carlos Chagas e Conrado Wessel.

HISTÓRICO: Número de teses inscritas sobe de 228 para 939

O Prêmio CAPES de Tese reconhece os melhores trabalhos de conclusão de doutorado defendidos em programas de pós-graduação brasileiros. Criado em 2005 e entregue pela primeira vez em 2006, por ocasião das comemorações do 55º aniversário da CAPES, ele abrange todas as áreas de conhecimento que têm um representante na avaliação da pós-graduação stricto sensu. Um dos objetivos da iniciativa é aumentar a visibilidade das ações positivas e indutoras da CAPES na pós-graduação brasileira.

2006: Foram inscritas 228 teses (38 premiadas), avaliadas por 198 consultores em 56 comissões. Cada IES podia inscrever apenas uma tese por área. O Grande Prêmio homenageou César Lattes (exatas), Florestan Fernandes (humanas), e Carl Peter von Dietrich (biológicas).

2007: Não houve entrega de prêmio. A teses defendidas em 2006 foram premiadas em 2008.

2008: 43 teses foram premiadas, dentre 417 inscritas em 2007. Foi extinta a restrição do número de inscrições por IES. A seleção envolveu o trabalho de 207 consultores em 51 comissões. Lobo Carneiro (exatas), Celso Furtado (humanas) e Johanna Döbereiner (biológicas) foram os cientistas escolhidos.

2009: Foram premiadas 38 teses das então 44 áreas. Houve 487 teses inscritas. Leopoldo Nachbin (exatas), Mario Pedrosa (humanas) e Maurício Rocha e Silva (biológicas) foram os homenageados. Nessa edição, o Instituto Paulo Gontijo (IPG) premiou a melhor tese de Astronomia/Física.

2010: 43 premiados das então 47 áreas. Houve 399 inscrições. José Leite Lopes (exatas), Lucio Costa (humanas) e Carlos Chagas (biológicas) foram homenageados.

2011: Foram 45 premiados das então 48 áreas. Simão Mathias (Exatas), Ruth Cardoso (Humanas) e Glaci Teresinha Zancan, Biológicas foram homenageados.

2012: Foram 45 premiados entre 401 teses inscritas. Otto Richard Gottlieb (Exatas), Paulo Reglus Neves Freire (Humanas) e Emílio Marcondes Ribas (Biológicas) foram homenageados. Naquele ano, também ocorreu uma edição extra, com 44 premiados.

2013: 48 premiadas, de 21 instituições. Foram inscritas 645 teses de 80 instituições. Na ocasião, foi entregue pela primeira vez o Prêmio Interfarma para dois premiados nas áreas de Medicina, Odontologia, Farmácia, Enfermagem ou de Ciências Biomédicas (Genética, Fisiologia, Bioquímica, Farmacologia, Imunologia, Microbiologia, Parasitologia e Biologia Celular). Zeferino Vaz (Biológicas), Álvaro Alberto da Mota e Silva (Exatas) e Darcy Ribeiro (Humanas) foram homenageados.

2014: 48 premiados e 85 menções honrosas dentre 676 teses de doutorado inscritas por 21 instituições. Oswaldo Gonçalvez Cruz (Biológicas), Mário Schenberg (Exatas) e Sérgio Buarque de Holanda (Humanas) foram homenageados.

2015: 48 premiados e 86 receberam menções honrosas. Houve 735 teses inscritas por 86 instituições. Emílio Vanzolini (Biológicas), Aziz Nacib Ab'Sáber (Exatas) e Antônio Houaiss (Humanas, foram homenageados. A edição comemorou 50 anos do Parecer Sucupira.

2016: Ao todo, 48 teses foram premiadas e 88 receberam menções honrosas. Houve 774 teses inscritas por 90 Iinstituições. Nise da Silveira (Biológicas), Ricardo de Carvalho Ferreira(Exatas) e Octávio Ianni (Humanas) foram homenageados.

2017: Foram 49 premiados dentre 914 inscritos. Foram homenageados Vital Brazil (Biológicas) Casimiro Montenegro Filho (Exatas) e Aurélio Buarque de Holanda (Humanas). Em 2017, o Prêmio CAPES contou com uma nova parceria: a Comissão Fulbright Brasil concedeu um prêmio especial à tese que envolva as relações entre Brasil e Estados Unidos.

2018: Recorde de inscrições, com 939 trabalhos inscritos. São 49 premiados em 49 áreas. Outras 81 teses receberam uma menção honrosa. Amílcar Vianna Martins (Biológicas), Alberto Luiz Galvão Coimbra (Exatas Juarez) e Rubens Brandão Lopes (Humanas) são os homenageados.

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

Compartilhe o que você leu