Notícias Bolsista participa de pesquisa sobre governança de TI na Europa
Doutorado Pleno

Bolsista participa de pesquisa sobre governança de TI na Europa

Publicado: Sexta, 16 Setembro 2016 11:48 , Última Atualização: Sexta, 23 Setembro 2016 11:17

O bolsista de doutorado pleno no exterior pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) Isaias Scalabrin Bianchi está na Europa para investigar modelos de governança de Tecnologia da Informação de universidades de diferentes países. A partir dos estudos realizados no curso de Doutorado em Tecnologia e Sistemas de Informação da Universidade do Minho, o pesquisador brasileiro tem participado de grupos de pesquisa internacionais sobre o tema.

“Recentemente, apresentei o meu projeto no Doctoral Consortium na European Conference on Information System, na Turquia, em que conheci o professor Jos van Hillegersberg, tutor do meu grupo. O professor convidou-me para integrar um projeto sobre governança de TI na Universidade de Twente, em que estão envolvidos dois doutorandos e um mestrando. A parte da minha pesquisa está vindo a complementar o projeto, pois, como realizei estudos de casos em Universidades Brasileiras, estes resultados estão sendo discutidos e comparados à realidade holandesa. Também realizei um estudo na HU University of Applied Sciences Utrecht”, conta Isaias.

O pesquisador destaca que os modelos utilizados por universidades brasileiras são bem avaliados em termos internacionais. “Um dos fatores que chama a atenção durante as reuniões é que os professores ficam sempre muito entusiasmados em conhecer um pouco sobre os modelos adotados pelas universidades brasileiras. No Brasil temos modelos de referência da área de TI e é gratificante perceber que estamos com um nível similar ou muitas vezes superior em relação á muitas universidades de topo”, afirma.

16092016 foto isaias bolsista destaque 02

Conexão
Assim como muitos doutorandos brasileiros no exterior, a pesquisa de Isaias está conectada ao trabalho que desenvolve no país, no caso como técnico de tecnologia e Informação na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). “A proximidade com a área e a possibilidade de estudar algo que pudesse ser aplicado a minha realidade foi a principal motivação. Sempre procuro apresentar a universidade em que trabalho e um pouco da cidade de Florianópolis, a fim de mostrar o quanto avançados somos em várias áreas e as tecnologias que exportamos. Percebe-se claramente o grande interesse em realização de parcerias para pesquisa e acordos de cooperação para intercâmbio de estudantes, isso é muito gratificante.”

Impactos
Dessa maneira, o estudante acredita que o conhecimento gerado pela pesquisa no exterior pode gerar impactos positivos no país e, mais especificamente, no sistema educacional brasileiro. “Quero ajudar as instituições de educação superior no processo de adoção de novas tecnologias que tenham impacto nas atividades de ensino, pesquisa e extensão bem como oportunizar novos acordos de cooperação técnico-científica internacional entre universidades. Também espero compartilhar as minhas experiências com outros estudantes. Durante esse período tenho feito isso, interagindo com amigos e colegas de trabalho”.

Isaias afirma que a diversidade permitida pelo estudo no exterior possibilita maior aplicabilidade da pesquisa. “O doutorado fora do país oportuniza o conhecimento de diferentes modelos de universidades, com ênfase mais em pesquisa ou com foco mais no ensino, isso permite ampliar a visão sobre a educação superior e identificar os pontos fortes de cada modelo para aplicar no Brasil”.

16092016 foto isaias bolsista destaque 01

Um dos caminhos apontados por Isaias é a criação de uma organização que auxilie as instituições de ensino nas políticas específicas de tecnologia da informação. “Conheci organizações responsáveis pelo suporte e assessoria da TI nas instituições de educação superior, como a UCISA no Reino Unido e a Surf, na Holanda. Percebi nas interações com os gestores desses países que essas organizações exercem um papel fundamental para o sucesso das TI nas universidades, promovendo a troca de experiências, capacitações, cursos, conferência e projetos em colaboração. No Brasil, não tenho conhecimento de uma organização semelhante e essa para as instituições de educação superior, quem sabe possa auxiliar na criação e compartilhar um pouco da minha experiência”, conclui.

Doutorado Pleno
As inscrições Programa de Doutorado Pleno no Exterior estão abertas até o dia 14 de outubro. Serão concedidas até 200 bolsas, com início de julho a novembro de 2017. Veja o novo cronograma. As inscrições devem ser feitas por meio eletrônico, com os documentos e informações requeridos no edital. O resultado está previsto para ser divulgado em maio de 2017.

Consulte nesta página matérias sobre a atuação de outros bolsistas da Capes.

(Pedro Arcanjo)

Compartilhe o que você leu