Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Capes e UFRN assinam termo de cooperação para criação da Plataforma Sucupira
Início do conteúdo da página

Capes e UFRN assinam termo de cooperação para criação da Plataforma Sucupira

Escrito por Assessoria de Comunicação Social da Capes | Publicado: Quinta, 31 Maio 2012 08:50 | Última Atualização: Quarta, 21 Maio 2014 20:24

Nesta quarta-feira, 30, o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Almeida Guimarães, e a reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela Maria Paiva, assinaram termo de cooperação para o desenvolvimento de um sistema voltado a coletar informações dos programas de pós-graduação (PPGs) em tempo real e estabelecer os procedimentos de avaliação com transparência para toda a comunidade acadêmica.

30-05-12-Assinatura-UFRN-PlatafSucupira-GF 174
Sistema será voltado a coleta de informações dos PPGs em tempo real e estabelecimento de procedimentos de avaliação com transparência (Guilherme Feijó – ACS/Capes)

O sistema, que será desenvolvido pela Diretoria de Sistemas da UFRN em parceria com as Diretorias de Avaliação (DAV) e de Tecnologia da Informação (DTI) da Capes, foi idealizado pelo Diretor de Avaliação, Livio Amaral. Segundo Amaral, o sistema de avaliação dos programas de pós-graduação é composto por aplicativos que foram sendo desenvolvidos ao longo dos anos e estão defasados frente ao avanço das tecnologias da informação. "Os vários aplicativos hoje utilizados na avaliação não conversam entre si, tampouco com outras plataformas e banco de dados do próprio MEC e de outras agências e mesmo com as significativas ferramentas de busca disponibilizadas no Portal de Periódicos. É necessário uma nova plataforma que integre tudo isto", explica.

A previsão é que o sistema seja colocado em teste no início de 2013.

Transparência
Livio Amaral ressaltou o fato de a iniciativa não ser apenas um novo sistema com atualizados recursos de tecnologia de informação, mas também uma ferramenta em prol da transparência pública. Anualmente, as informações relacionadas aos PPGs são enviadas à Capes pelo aplicativo Coleta Capes, num bem determinado e limitado período dentro do calendário estabelecido pela DAV.



Com a nova ferramenta, o envio de informações poderá ser feito continuamente em tempo real ao longo do ano pelas coordenações dos PPGs, fazendo assim que os dados possam ser retificados se houver necessidade. A Capes vai estabelecer uma data, a cada semestre, para que as informações sejam chanceladas pelos Coordenadores de PPGs e Pró-Reitores. Uma vez chanceladas poderão então ser utilizadas em estudos e estatísticas.

A reitora da UFRN, Ângela Paiva, falou da satisfação da universidade em poder contribuir para um sistema já consolidado, "a avaliação da Capes é referência para todo tipo de avaliação feita pela instituição". Ela ressaltou ainda a possibilidade de consulta em tempo real das informações pelo novo sistema. "Nós pesquisadores e estudantes poderemos consultar os dados não apenas ao fim de cada triênio. Teremos relatórios parciais que permitirão que cada instituição possa orientar e aperfeiçoar seus PPGs ao longo do processo", afirmou.

Homenagem
Como sugestão do Diretor de Avaliação, o sistema deverá ser denominado de Plataforma Sucupira, em homenagem ao professor Newton Sucupira, autor do Parecer nº 977 de 1965. O documento conceituou e institucionalizou a pós-graduação brasileira nos moldes como ela é ainda na atualidade.

30-05-12-Assinatura-UFRN-PlatafSucupira-GF 118
Plataforma Sucupira foi o nome sugerido em homenagem ao prof. Newton Sucupira (Guilherme Feijó – ACS/Capes)

O presidente da Capes, Jorge Guimarães, disse que o Parecer Sucupira é um marco na história da Capes. "O parecer é de uma flexibilidade impressionante. Newton Sucupira foi muito sábio", afirma.

O documento original do parecer está exposto no Espaço Anísio Teixeira, no edifício-sede da Capes, desde o dia 11 de julho de 2011, data em que a Capes completou 60 anos. O documento foi cedido temporariamente, por um ano, pelo Conselho Nacional de Educação (CNE).

Fim do conteúdo da página