Notícias Prorrogado o prazo de inscrição para Programa da Amazônia Legal
Pós-graduação

Prorrogado o prazo de inscrição para Programa da Amazônia Legal

Publicado: Terça, 30 Junho 2020 14:30 , Última Atualização: Terça, 30 Junho 2020 14:39

Instituições terão até 10 de julho para enviarem propostas. Serão financiadas 720 bolsas e até 90 projetos nos estados da Região Norte, Maranhão e Mato Grosso.

30062020 FOTO DENTRO MATERIA PRAZO AMAZONIA LEGAL

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) prorrogou, até 10 de julho, o prazo para envio de propostas para o Programa de Desenvolvimento da Pós-Graduação (PDPG) na Amazônia Legal. A data anterior para inscrição terminava nesta terça-feira, 30. Serão apoiados até 90 projetos com 720 bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado e investimento de até R$ 56,4 milhões. A Amazônia Legal corresponde a 59% do território brasileiro e é composta pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte do Maranhão.

Para participar do edital, as instituições de ensino superior (IES) devem elaborar Planos de Desenvolvimento da Pós-graduação e enviar os projetos pelo Sistema de Inscrições da Capes (Sicapes). A divulgação do resultado preliminar está prevista para 2 de setembro e a do resultado final, 22 de setembro. A implementação dos projetos terá início a partir de outubro.

O Programa vai apoiar projetos para consolidar iniciativas já existentes e criar novas áreas de concentração ou programas dentro das áreas abordadas pelo edital. Os selecionados receberão até R$ 627 mil de financiamento, com R$ 200 mil para custeio e R$ 427 mil para os benefícios.

A criação de redes de colaboração entre as instituições da região e de outras partes do país é estimulada pelo Programa. Um dos objetivos é a redução de assimetrias no Brasil e a formação de recursos humanos qualificados, intensificando pesquisas de grande relevância para o desenvolvimento científico-tecnológico brasileiro.

Entre as áreas temáticas abrangidas, estão: Biotecnologia, Biodiversidade, conservação e recuperação ambiental, Saúde pública, doenças tropicais e tecnologias para o trabalho em saúde, Combate e prevenção voltados ao enfrentamento de epidemias, Engenharias, Tecnologia de informação e comunicação, Clima, energia e recursos Hídricos, Produção animal e vegetal sustentável e Diversidade sociocultural, sustentabilidade e atividades socioeconômicas.

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

Compartilhe o que você leu