Notícias Benedito Aguiar fala sobre Ciência, Tecnologia e Inovação
Simpósio

Benedito Aguiar fala sobre Ciência, Tecnologia e Inovação

Publicado: Sexta, 12 Junho 2020 17:17 , Última Atualização: Sexta, 12 Junho 2020 18:21

Sistema Nacional de Pós-Graduação e medidas para o desenvolvimento e inovação no país foram foco da aula para o curso de Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra.

12062020 foto dento materia presidente 02 1

Alunos do curso de Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra participaram nesta sexta-feira, 12, de um simpósio que teve a participação de Benedito Aguiar, presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). A Ciência, a tecnologia e a Inovação como fatores de desenvolvimento do Brasil foi o tema da palestra.

Em sua fala inicial, sobre o Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG), Aguiar destacou a missão de formar recursos humanos de qualidade para o crescimento da pesquisa e inovação no país: “O domínio do conhecimento científico e tecnológico é estratégico para o desenvolvimento social e econômico de qualquer país. Sem inovação certamente o país não vai se desenvolver”.

A contribuição significativa do SNPG para o alcance das metas do Plano Nacional de Educação foi ressaltada durante a apresentação. Benedito Aguiar destacou a importância de incentivar maior integração entre a academia e o setor produtivo. “Temos avançado muito nessa direção, mas os indicadores de inovação, comparados com os de produção científica, nos mostram que ainda não estamos conseguindo aproveitar o potencial do conhecimento científico para transformá-lo em inovação”, afirmou.

O estreitamento das relações entre academia e setor produtivo é um dos principais pontos em debate para o Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) 2021-2030, que está em fase de elaboração. Segundo Aguiar, é necessário fortalecer as cooperações entre as agências de fomento e na formação de pessoal para o setor industrial e de serviço. “Precisamos estabelecer programas estratégicos para o desenvolvimento científico e tecnológico. Pensar quais áreas precisamos de mais investimento para desenvolvê-las a partir do potencial existente e das vocações regionais”, reiterou.

Os Programas de Combate a Epidemias e de Desenvolvimento da Pós-Graduação na Amazônia Legal foram citados como exemplos de políticas estratégicas para o desenvolvimento de região e de área de interesse para o país. Para o presidente da CAPES, a união dos atores envolvidos no Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação é fundamental para que, de fato, o país possa alcançar o desenvolvimento social e econômico que todos desejam. “Isso só vai ser alcançado se conseguirmos diminuir a distância entre a ciência e a produção de tecnologia”, afirmou.

Outro ponto ressaltado durante o evento foi a necessidade de formação de professores nas áreas de Ciências e Matemática. De acordo com Aguiar, há uma significativa falta de mestres em ambas áreas e é necessário um programa específico para impulsionar a formação desses professores para a Educação Básica.

Além dos alunos do curso, participaram do simpósio oficiais da Forças Armadas, militares estaduais, funcionários de órgãos públicos, estagiários, oficiais da Argentina, Estados Unidos, Paquistão, representantes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

Compartilhe o que você leu