Notícias CAPES apoia pesquisas sobre COVID-19 no RJ
Pandemia

CAPES apoia pesquisas sobre COVID-19 no RJ

Publicado: Quinta, 07 Mai 2020 18:33 , Última Atualização: Quinta, 14 Mai 2020 12:03

No estado, 52 programas de pós-graduação stricto sensu receberam bolsas emergenciais diretas e já iniciam atividades

07052020 FOTO DENTRO MATERIA RJ COMBATE EPIDEMIAS.JPG

Pesquisas sobre a eficácia de remédios comerciais contra a COVID-19 e o uso de radiação contra o vírus SARS-CoV-2 estão entre os novos trabalhos apoiados pelo Programa de Combate a Epidemias no RJ. No estado, 52 programas de pós-graduação stricto sensu receberam bolsas emergenciais diretas e já iniciam atividades. Financiadas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), elas apoiam cursos nas áreas Biomédicas, Exatas e Ensino de Ciências.

Na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o programa de Biologia Celular e Molecular direcionou sua pesquisa para dois segmentos: análise de medicamentos e biotecnologia de vacinas. A primeira vertente estuda maneiras de usar remédios já existentes para o combate à COVID-19. No segundo caso, os cientistas buscam uma forma de prevenção contra o vírus. “Alunos que já pesquisavam os temas passaram a estudar a nova doença”, informa Leila Mendonça Lima, coordenadora do programa. “Sendo atividades necessariamente experimentais, os alunos precisam ir ao laboratório. Portanto, adotamos todas as medidas de segurança”, afirma a professora.

O foco do programa de Física da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) é desinfecção. Um dos trabalhos vai estudar a eficiência da radiação ultravioleta (UV) e dos raios X para a inativação do vírus. Outra pesquisa vai desenvolver um sistema automatizado inteligente para aplicar as radiações na esterilização de superfícies e objetos, dispensando contato humano. “Dessa forma, será possível diminuir os custos da desinfecção”, explica o professor Marcelino dos Anjos.

07052020 FOTO DENTRO MATERIA 01 PPG RIO RECEBEM BOLSAS

Segundo a professora Catarine Leitão, o resultado vai representar um avanço na área. “Alguns projetos semelhantes no Brasil demandam um operador para a máquina na região a ser desinfetada, expondo o ser humano ao vírus. Portanto, nosso estudo é pioneiro no país”, avalia a cientista.

Programa de Combate a Epidemias
Iniciado em março, o Programa é um conjunto de ações de apoio a projetos, pesquisas e formação de recursos humanos para enfrentar a COVID-19 e estudar temas relacionados a endemias e epidemias. A iniciativa é voltada para programas de mestrado e doutorado.

Duas dimensões estruturam o Programa: Ações Estratégicas Emergenciais Imediatas e Ações Estratégicas Emergenciais Induzidas em Áreas Específicas.

Na etapa inicial, 1.150 bolsas emergenciais imediatas apoiaram áreas de Saúde (850 auxílios), Exatas, Engenharias, Tecnologias e Multidisciplinares (300 benefícios). Também faz parte da primeira fase o edital nº 09/2020, que convoca até 30 projetos para o repasse de 900 bolsas e R$345 mil de custeio. Já a segunda etapa seleciona 57 projetos, que vão receber 550 bolsas e R$200 mil para despesas.

Confira no Programa de Combate a Epidemias os detalhes do três editais:
- CAPES – Epidemias - Edital nº 09/2020
- CAPES – Fármacos e Imunologia - Edital nº 11/2020
- CAPES – Telemedicina e Análise de Dados Médicos - Edital nº 12/2020

(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

Compartilhe o que você leu